Marcas e Patentes Registro de Marca

3 coisas que micros e pequenas empresas precisam saber sobre proteção de marcas

Se você está focado em fazer sua empresa crescer, então não pode deixar de lado os cuidados com a proteção de marca. E se você acha que isso é preocupação apenas de grandes empresas, está muito enganado. O assunto deve estar na lista de prioridades de todo empreendedor!

Afinal, o registro de marcas e patentes é fundamental para garantir a proteção legal de qualquer negócio, de forma a ajudá-lo a se consolidar no mercado.

Pensando nisso, neste artigo, trouxemos 3 informações superimportantes que mostram o que as micros e pequenas empresas precisam saber sobre proteção de marca. Confira!

1. A origem geográfica do produto pode ajudar na divulgação do pequeno negócio

Você sabia que uma micro ou pequena empresa pode tornar-se muito conhecida explorando a origem geográfica de seus produtos? Para dar apoio a esse segmento, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) disponibilizam, anualmente, o Mapa das Indicações Geográficas do Brasil.

O documento funciona como um certificado de origem que valoriza a produção regional brasileira. Entre os produtos reconhecidos por indicação geográfica, estão, por exemplo, os vinhos do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul, o queijo da Serra da Canastra, em Minas Gerais e o café do Cerrado Mineiro.

A indicação geográfica certifica e protege produtos tradicionais do país, oferecendo um diferencial competitivo muito importante para a expansão de uma empresa que está iniciando no mercado ou para o sucesso de pequenas comunidades de produtores.

Administradores comemorando a proteção de marca

2. O registro de marca deve ser feito logo no início do negócio

Entre as inúmeras preocupações na hora de abrir um negócio, muitos empresários acabam deixando o registro da marca para depois. No entanto, essa deve ser uma das primeiras tarefas a serem realizadas, já que a marca é o principal elo entre a empresa e o cliente, e o registro possibilita que o empreendedor concorra no mercado com seus direitos assegurados.

Quando a marca é registrada logo no início do negócio, o microempreendedor tem a chance de gerar lucros mais rapidamente por meio da exploração direta ou indireta do seu produto ou serviço. Esse retorno financeiro é crucial, especialmente para a empresa que está começando, pois, assim, o pequeno empreendimento consegue investir em melhorias e na divulgação dos seus diferenciais.

3. Micros e pequenas empresas também podem ter sua marca roubada

Muitos pequenos empresários não se preocupam com a proteção de marca e patente porque acreditam que ninguém vai usá-la indevidamente. Mas é aí que eles se enganam. Todo negócio está suscetível a uma concorrência desleal.

Uma invenção promissora, uma ideia transformadora ou uma marca inovadora podem ser alvos de fraudes ou uso indevido e podem, até mesmo, ser roubadas. E a regra do INPI é clara e objetiva: quando sem objeções tem direito à marca quem registra primeiro.

Além de evitar que outras pessoas no mercado imitem sua marca e você tenha grandes prejuízos com isso, o registro é uma forma de as pequenas empresas se destacarem no mercado, diferenciando-se da concorrência.

Assim, além de estarem protegidas, as MPEs conseguem crescer e se consolidar, trazendo melhores resultados para o negócio.


Como você viu, a proteção de marca é essencial para todas as empresas, e não apenas para as grandes corporações. Garantindo a proteção desde o início das atividades empresariais, as MPEs têm mais chances de crescimento, trazendo maior possibilidade de êxito para o empreendimento.

Agora que você já sabe a importância da proteção de marca para micros e pequenas empresas e as facilidades que o INPI oferece para esse segmento, não deixe de registrar sua marca. Acompanhe outros conteúdos no nosso blog e conheça mais sobre o assunto!

DEIXE UM COMENTÁRIO