INPI Registro de Marca

4 passos para registrar sua startup corretamente

Se você quer registrar sua startup o quanto antes, está no caminho certo. Proteger sua marca, invenção ou produto é fundamental para se tornar uma empresa reconhecida e sólida no mercado.

Os benefícios de proteger sua startup logo no começo do empreendimento são diversos, indo desde a atração de grandes investidores até a precaução de prejuízos e problemas futuros.

Mas, afinal, como registrar uma startup corretamente? Se você tem dúvidas sobre isso, então este artigo foi feito para você. Vamos mostrar 4 passos essenciais para proteger sua startup sem erros. Confira!

Administrador buscando empresas especializadas para registrar startup.

1. Faça uma pesquisa prévia

O primeiro passo no processo de solicitação de registro de marcas é realizar, previamente, uma pesquisa criteriosa. A consulta pode ser feita no banco de dados do INPI, o órgão responsável pela concessão de marcas e patentes, e serve para garantir que o nome que você quer usar para a sua empresa ainda não foi registrado por ninguém.

Essa busca é importante para que você não infrinja os direitos de uma empresa que já tenha a marca registrada, o que poderia lhe causar perda de tempo no registro e sérios prejuízos futuros.

2. Entenda o que pode ou não ser registrado

Para registrar uma startup corretamente, é preciso saber o que de fato pode ser feito. Diante disso, cuidado com marcas muito parecidas com alguma já existente. Ao realizar a pesquisa prévia, preste atenção e evite nomes muito semelhantes. Isso pode gerar uma oposição de marca, mesmo que elas não sejam idênticas.

Também é importante ter em mente que slogans e outras expressões de propaganda não podem ser registrados. Do mesmo modo, nomes comuns, genéricos ou descritivos, possivelmente não serão aceitos pelo INPI.

Existem ainda outras particularidades, como o caso de nomes de família ou nomes artísticos, que devem ser registrados pelo titular ou com a autorização de herdeiros quando envolve nome de pessoa falecida.

3. Fique atento às regras do INPI

Como dissemos, o órgão responsável por registrar a startup chama-se INPI — Instituto Nacional da Propriedade Industrial. É possível fazer diferentes registros, como marca, patente, desenho industrial, programa de computador e outros.

Sendo assim, é necessário que as startups conheçam as particularidades de cada tipo para que não errem durante o processo de registro.

As startups que desejam registrar programas de computador, por exemplo, devem ficar atentas às novas normas do INPI, reunidas na Instrução Normativa nº 71, de 2017, que simplifica o pedido de registro de softwares e desburocratiza o processo para startups.

Administradores apertando as mãos ao registrar startup.

4. Contrate uma empresa séria para registrar sua startup

Por fim, para registrar uma startup corretamente, nada melhor que receber uma assessoria séria, competente e confiável. Como você viu, um pedido de registro não é um processo tão simples, principalmente para quem não tem os conhecimentos técnicos necessários.

Embora seja possível fazer o pedido sozinho, ele pode ser demorado, exaustivo e complexo, o que torna o procedimento suscetível a erros. Portanto, para registar a startup corretamente, contratar uma empresa especializada em registro de marcas traz inúmeras vantagens, garantindo êxito no processo.


Esses são os 4 passos fundamentais para registrar uma startup corretamente. Seguindo essas dicas, você estará mais perto de proteger a sua ideia e fazer seu negócio crescer!

Quer registrar sua startup? Então não perca tempo! Aproveite e entre em contato com a Anel para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto!

DEIXE UM COMENTÁRIO