Registro de Marca

6 dicas para criação do nome da sua marca

Você está com uma ideia de negócio já toda planejada, mas ainda não escolheu o nome dele? Bom, sugerimos que comece a pensar nisso desde agora. O nome da sua marca é muito importante, pois ele vai estar estampado em todos os seus produtos.

É ele que vai fazer a conexão com o público e vai fazer com que os clientes lembrem de você quando precisarem. Por isso, é uma etapa muito importante que precisa ser bem pensada, para não haver erros.

Sendo assim, confira a seguir 6 dicas de como criar o nome da sua marca. Ao seguir elas você estará mais próximo de concluir essa etapa e, assim, poder partir para as próximas, como a criação da logo e fabricação dos produtos testes.

1. Prefira nomes únicos

Escolher um nome único de marca possibilita que as pessoas não se confundam e que sua empresa seja encontrada mais facilmente no Google. Por exemplo, Itaú não é uma palavra que existe no nosso vocabulário. Sendo assim, ele consegue se destacar. 

Aliás, ele é um nome único, curto, simples e fácil de gravar. Que são características que veremos a seguir.

Agora, por exemplo, imagine colocar o nome da sua marca de cisne branco. Ao pesquisar no Google, você irá encontrar primeiro várias fotos de cisnes brancos antes de encontrar a sua marca. Principalmente, quando ela está em sua fase inicial e não é tão buscada por pessoas.

Então, procure criar um nome único para ser encontrado mais facilmente e para que sua empresa não seja confundida com outra coisa. 

criar a sua marca

2. Escolha um nome que seja lido da forma correta

O nome da sua empresa deve ser fácil de ler e sem ambiguidades ou que confunda o consumidor. Para isso, pense nas palavras-chaves da sua empresa e procure por algo que seja claro e objetivo.

Por isso, é preciso pensar e pesquisar bastante. Aliás, a pesquisa possibilita que você encontre referências e também auxilia para que sua empresa não tenha o mesmo nome que outra do mesmo segmento.

3. Pense no conceito que quer transmitir

Outra dica é pensar no conceito que se quer transmitir com o nome da marca. Isso porque, ao transmitir um conceito é mais simples do público-alvo ser atingido e, consequentemente, da marca crescer.

Por exemplo, a Nike tem esse nome como referência à deusa grega da vitória. Assim, a marca adotou esse nome, pois ele representa velocidade e força, justamente o que os tênis da Nike querem proporcionar para os atletas ou pessoas que os utilizam. 

Então, crie um nome que transmita o que sua marca quer, seja em valores ou características físicas. Assim, quando uma pessoa ler ele, vai ter uma ideia sobre o que é sua marca e sobre o que ela quer passar para o seu público.

Nike

4. Encontre um nome fácil de lembrar

Para esta dica podemos pegar o mesmo exemplo da Nike. Ele é um nome curto, fácil de pronunciar e de gravar. Sendo assim, busque por nomes que tenham essas mesmas características. 

É claro que sua marca pode ter um nome grande, porém, talvez ele não seja lembrado tão facilmente pelas pessoas ou talvez elas só chamem sua empresa por uma parte do nome. Mas se mesmo assim você quiser colocar um nome grande, pense na possibilidade de utilizar apenas as iniciais. Por exemplo, a BMW é a sigla para Bayerische Motoren Werke AG

5. Evite nomes estrangeiros

Nomes estrangeiros são mais difíceis de serem pronunciados da forma certa e nem todo mundo vai saber o seu significado, apenas quem conhecer a língua estrangeira. Por conta disso, esse tipo de nome deve ser evitado.

Porém, digamos que os seus sonhos e objetivos com a empresa sejam grandes, como de expandir o negócio para fora do Brasil. Nesse caso também não é preciso escolher um nome estrangeiro. 

Você pode escolher um que seja brasileiro e fácil de ser pronunciado tanto no Brasil quanto nos países estrangeiros. Por exemplo, a Avon não é uma empresa brasileira e mesmo assim, seu nome é super conhecido em todo o Brasil. Já a Natura é uma empresa brasileira, mas que está presente em outros países estrangeiros. 

6. O nome deve conectar com o público-alvo

Após analisado todas as dicas anteriores chegamos à última que é tão essencial quanto as outras. O público-alvo da sua marca precisa se conectar com ela e o nome é um grande contribuidor para isso. Então, se o cliente está conectado com o nome, ele vai se conectar com a sua empresa.

Para isso, pense no tipo de público que você quer atingir, qual sua educação, nível de sofisticação, perspectivas religiosas, renda, idade e interesses. A partir disso, crie o nome da sua marca.

Se possível, una duas palavras, como a Adidas fez ao unir o apelido com o início do sobrenome do seu fundador Adolf Dassler. Ou então, Chilli Beans, que unem as palavras pimenta e feijão. Esse último caso se deu porque o dono gostava muito de pimenta e se inspirou num prato mexicano que leva esses dois ingredientes. 

O que você precisa saber é que criar um nome de uma marca pode levar horas ou dias. Até escolher algo que seja perfeito, fácil de pronunciar, de gravar e que transmita a essência da marca para os clientes leva tempo. Afinal, esse detalhe é muito importante.

Sendo assim, depois de encontrar o nome, indicamos você a fazer o registro de marca. Até porque, de nada adianta escolher um nome e depois de estar com o negócio em expansão descobrir que outra pessoa fez o registro da sua marca e aí você perde todos os direitos de uso dela.

Aliás, entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas sobre o processo de registro de marcas.

DEIXE UM COMENTÁRIO